• Viagem

    Conhecendo o Beto Carrero World em Penha-SC

    E aí gente, tudo bem? Aqui é a Cah e eu vou contar sobre minha experiência no maior parque temático da America Latina! Essa introdução é um tanto impressionante, né? Confesso que, como uma boa e velha amante de parque de diversões, a ansiedade pra conhecer o Beto Carrero estava lá em cima! Mas não foi tudo isso que eu esperava não… Vou contar o motivo!

    Antes de mais nada. Queria dizer que não ficamos em Penha, onde esta localizado o parque. Ficamos em Balneário Camboriú pois passaríamos apenas um dia no parque e os outros iriamos curtir a cidade e suas praias. Pra ir até o parque escolhemos pegar um transfer $35 por pessoa. Chegamos em cerca de meia hora no parque, apenas na volta pegamos muuuito transito, o que aumentou cerca de uma hora a viagem. Mas como estávamos cansados apenas dormimos e passou rapidinho.

    Chegando no parque, uma dica! Tire algumas fotos na entrada pra garantir, mas não esqueça de fazer uma foto na saída! Ao final do dia as pessoas estão cansadas e indo embora o que deixa o entorno muito mais vazio pra você fazer AQUELE click!

    O lugar é bonito, só não digo que é muito teen pra uma marmanja como eu pois a Disney também é e eu morro de vontade de conhecer!! Acho que é mais uma questão de como as coisas são feitas mesmo, da “magia do lugar”, sabe? Então, pra crianças acredito ser melhor aproveitado. Fomos após o carnaval, numa sexta-feira, o parque até estava cheio mas não lotado.

    Peguei uma hora e meia na fila do Madagascar Crazy River Adventure (o famoso rio bravo, sabe?). Olha, confesso que não foi tudo o que eu esperava, 0% emoção. A Fire Whip (montanha russa invertida onde você vai com os pés livres) não funcionou, estava em manutenção. Os outros brinquedos mais “radicais” estavam com bastante fila. Não me aventurei pois queria ter a chance de conhecer o máximo possível do parque e não passar o dia todo em filas. A maioria das atrações são realmente para crianças. Existem os brinquedos radicais, que também considero poucos e eu diria que quase nenhum de adrenalina “média”. Aqueles que não são infantis, mas que também não vão revirar o seu estômago.

    Quanto ao zoo, meu namorado gostou bastante, pra ele foi o que salvou o dia, mas eu, não curto muito ver os bichinhos presos e dormindo. Mas, pra quem gosta, é possível ver muitos animais bem de perto, separados apenas por uma cerca ou vidro grosso.

    Hora do almoço ou lanchinho!! Existem muitas opções, sério, muitas mesmo! Vi uma galera levando seus lanchinhos e comendo numa sombrinha no gramado, outras tirando frutinhas da mochila e comendo na fila dos brinquedos pra dar aquela enganada na fome. Pra quem deseja comer lá ou fazer aquela refeição mais completa, existem restaurantes self-service com uma média de $6 e pouco cada 100gr. Após tomar um café reforçado na pousada, optamos por um pastel e um pedaço de pizza, $13 cada. Pedaço de pizza grande e gostosinho. O pastel sim, um bom tamanho pro valor, super recheado e saboroso. Cheguei a ver pratos feitos também, isso pela média de $25, 30 reais. E ah! A garrafinha de água custava 3,50.

    Existem muitas atrações pagas a parte (como por exemplo kart e “castelo dos horrores”) e eu notei que o parque também foca muito em shows. Tem aquela pegada circense, sabe? Existem os horários sinalizados em placas e eles acontecem durante todo o dia. Pagamos $99,00 por pessoa e fomos somente um dia. Uma visita de um dia achei o suficiente pra nós. Indicam mais de um dia pra que você possa ver todos os shows, andar com calma em todas as atrações, visitar todos os animaizinhos no Zoo. Mas se você não é adepto a uma das categorias, um dia somente já é o suficiente. Foi ótimo conhecer o parque, mas confesso que me arrependeria se tivesse pego mais de um dia.

    E vocês? Já conhecem o parque? Contem pra mim suas impressões!